Curso Astrothon

Preparação para o Natal

por Hector Othon

Para desfrutar da paz, da harmonia, das virtudes é importante perceber que em nós agem programações de comportamento em princípio obsoletas, sabotadoras, que não correspondem a nossa ética, moral, visão de vida.

Agora no curso online de Astrologia “Roda das casas” estamos terminando o estudo da casa 9 onde aprofundamos na iluminação da moral e ética pessoal entre outros assuntos.

Já você experimentou escrever quais são teus princípios valores, as normas de comportamento, os costumes, as atitudes que enaltece tua moral como guia para tua vida?

Por exemplo:

não matar, não mentir, não desejar o que não me corresponde…

mais estratégicos, tipo:

  • diante um erro, uma falta, uma decepção num relacionamento primeiro que tudo ver o que me corresponde, em que sou responsável pelo que está acontecendo e focar no melhoramento da minha parte… Em relação ao outro, me esforçar em entender o que acontece com ele e ver como junto posso colaborar para que ele vença seus desafios…
  • erradicar da minha vida a violência, o julgamento, a crítica que condena ao outro de um jeito frio, cruel, como se o mal que acontece entre pessoas seja devido só a algum dos membros…

O que está acontecendo de mal por exemplo na camera de deputados e no senado não é porque lá tem pessoas más é devido ao sistema de governo que está bichado, seja quem for que entrar nele, será corrompido, no mínimo machucado.

O foco para a saída da situação que vivemos não é julgar e culpar os que cometeram erros, mas em mudar o sistema de governo…

Assim também o foco em nossos desafios cotidianos nos relacionamentos não está nas pessoas envolvidas, mas no tipo de relacionamento que escolhemos para reger, nos valores e princípios que regem nestes relacionamentos, nos costumes e programações que determinam nossas atitudes.

Nestes dias em que Vênus trânsita por Escorpião em trígono com Quíron em Peixes é auspicioso meditar, refletir como estamos vivendo nossos relacionamentos, qual nossa moral, ética nos relacionamentos, e assim, o quanto antes possível fazer uma verdadeira revolução de nosso comportamento em nossos relacionamentos afetivos, familiares, íntimos…

Detecta o que é da tua responsabilidade

Para começar detecta o que na tua programação, no teu jeito de ser, te faz responsável pelo que vives… E assim em vez de viver obsessivamente focado em tudo o que o outro faz de errado, tem em falta, decepciona… você se concentrar em perceber o que em você te escraviza nestas obsessões negativas…

Por exemplo, você está casada com uma pessoa, mas quer que a pessoa seja diferente do que é… aí em vez de mostrar a pessoa o quanto seria bom para todos que ela mudasse, o que ela pode fazer para mudar, junto enfrentar os desafios… mostrar com arte o quanto ela ia se sentir bem se mudasse… te esforçar em entender porque ela não muda na direção que você quer… porque pode ser até que tua obsessão com a mudança da pessoa seja totalmente fora de possibilidade pela natureza da pessoa… em fim, Em vez de entrar na realidade que vive amorosamente e tentar encontrar junto uma solução… você pode só ficar na tecla de criticar, assinalar erros, faltas, rejeitar, castigar ao parceiro porque ele não é como você quer… o que torna o relacionamento um inferno… Se você se manter nesta postura com certeza o fim é a dor… Se sair deste automatismo negativo, com certeza você conseguirá chegar a um entendimento e encontrar uma solução…

Escrever tua ética, moral pessoal

Nestes dias desafiadores e ardorosos colabora você definir no que você quer que reja teu comportamento e atitudes especialmente nos relacionamentos familiares… aí se no calor e frisão dos automatismos negativos te descobrir gritando, agredindo um familiar, um amado, na hora para, pede licença e te retira para meditar, orar, até iluminar o que te acontece. Na hora pede perdão, e deixa o amor, o carinho curar as mágoas, os ressentimentos…

Não é uma questão de “se reprimir”

mas de se responsabilizar com o astral que crias nos relacionamentos… em momentos delicados como os que estamos vivendo, as atitudes irresponsáveis no comando da criança magoada, ressentida podem ser funestos… cada um terá que se esforçar em dar força ao adulto amoroso e em processar sua negatividade com proteção.

familiares negativos

Diante de familiares que não conseguem sair da negatividade te mantenha firme no amor, na compaixão, na solidariedade… porque só o amor e o carinho cura, transforma o mal em bem. o feio em bonito, o astral triste, em alegria. Muitos de nós podem estar em situações interiores de perturbação que não tem condições mesmo de se responsabilizarem por seus atos… onde existir uma pessoa neste estado, todos os próximos deverão se unir para juntos transmutarem a negatividade.

Faça questão de colaborar com o bem-estar e felicidade de teus familiares, íntimos, amados e amadas. Com previdência se organize para participar do melhor jeito possível dos encontros familiares… e se estiver perturbado saiba que terá que redobrar tua auto observação, tua humildade para quando entrar no baixo astral saibas na hora com humildade te retirar ou pedir a colaboração e entendimento das pessoas afetadas.

dono de si

Desenvolve o tesão de ser dono de si, a tal ponto que consigas te comportar segundo acreditas, e quando o mal ataque, que saibas juntos te unir aos presentes no amor e nas virtudes para vencer qualquer tipo de desafio, imprevisto.

Desejo a todos a arte de viver no amor e na virtude… e quando o mal visitar, sem alarme, histeria, caça a bruxas, o acolha coletivamente com amor, até virar bem

que amanheça o sorriso e a alegria em todos

gratidão a todos os que me amam e tem paciência abençoada com minhas negatividades

gratidão aos que com suas verdades ditas de forma amorosa colaboram com meu acordar e aprimoramento

gratidão aos que com suas porradas, me estimulam a transmutar minhas porradas na arte de junto construir relacionamentos em constante processo de embelezamento, cuidado mútuo e depuração.

te amo

Hector Othon

17 de dezembro de 2015

0Respostas em Preparação para o Natal"

©2015 Astrothon.